domingo, março 06, 2005

S.VICENTE (1914)
(1ª Parte)

Num envelope, identificado com a inscrição "S. Vicente 1914", encontrei uma colecção de postais sobre esta cidade de Cabo Verde e ainda alguns postais avulso. Apesar da data indicada no envelope, é mais provável que tenham sido comprados em 1915, a quando do regresso a Lisboa do contingente do General Pereira d'Eça (na viagem para Angola havia sempre a recomendação de levar o mínimo de bagagem; além disso o regresso era sempre uma incerteza)

O postal que me despertou mais interesse data de 1908 e assinala uma visita do Príncipe-Real D. Luís Filipe a S. Vicente. Este foi enviado por um amigo da família. Na imagem podemos ver uma inscrição no edifício onde se lê "VIVA SUA ALTEZA O PRINCIPE REAL".



As imagens que se seguem constituem uma colecção de postais que têm a forma de um pequeno livro de onde se podiam destacar os postais pelo picotado. A ordem pela qual as imagens estão dispostas é a mesma que encontrei no livro.























Não resisto a fazer um pequeno comentário ao último postal.
É estranho como uma imagem de miséria humana (pessoas vivendo numa cubata, um criança com ventre inchado) pode fazer parte de uma colecção de postais. Qual seria a intenção de quem o incluiu no conjunto dos postais? E que sentimentos despertaria nas pessoas daquele tempo que o adquiriam? Tocar-lhes-ia o coração? Ou apenas o considerariam uma imagem pitoresca?
Há algum historiador ou sociólogo que possa responder a estas questões?

17 comentários:

jpt disse...

mau, se começamos a moralizar em cima de anacronismos azedam-se os postais.
e o que são (eram) os postais nesse tempo? documento? informação?

Marco disse...

JPT,
Tens razão. Considerações moralistas a 90 anos de distância não fazem muito sentido.
Mas gostava de saber o que ia na cabeça das pessoas naqueles tempos.

Just Tino disse...

Saio deslumbrado desta visita. Conheço bem os locais mostrados nos postais, e sobre a miséria mostrada no último, penso que naquele tempo os brancos achavam que os negros eram uns seres com algumas semelhanças com a raça humana...

csl disse...

que linda a Baía do Prto grande. Acho que nunca vi uma Baía mais bela e com o monte cara então é qualquer de divino. sobre a íltima foto concordo com o Jus Tino

Anónimo disse...

Ainda bem que hoje é tudo muito diferente! Mas relembrar náo faz mal a ninguém, muito pelo contrário.
Eu quero muito ir passar umas ricas férias a Cabo Verde!
Deve ser mesmo um mini-paraíso com gente bonita!

Beijinhos Marco

DAD

Anónimo disse...

Ainda bem que hoje é tudo muito diferente! Mas relembrar náo faz mal a ninguém, muito pelo contrário.
Eu quero muito ir passar umas ricas férias a Cabo Verde!
Deve ser mesmo um mini-paraíso com gente bonita!

Beijinhos Marco

DAD

Anónimo disse...

Estes postais, já na altura, deram conta das limitações mentais dos seus autores.
Vestuário e vegetação dão prova que uma parte das fotografias foi tirada em São Vicente (Cabo Verde), a outra em São Vicente (Guinea Bissau). Mas todas trazem a inscriçao "Cabo Verde".
Tanto faz para um bom colonialista Português. Basta criar uma imagem estereotipica pejorativa do colonizado e a coisa se aplica em lugar qualquer.
O objectivo é de criar a ilusão da superioridade entre os Luzos na "nossa África".
Felizes os pobres em espírito ....

joao disse...

muita tristeza ja passou por cabo verde,de facto pelo mundo todo.
esta mais que provado que nao existe superioridade entre homens nenhuns...em breve toda a forma de opressao ira terminar neste mundo e uma nova sociedade humana,justa,livre e igual para todos sera estabelecida para sempre,uma promessa feita por Deus cujo nome e' Jehova. revelacao.21:3,4

Anónimo disse...

Some of the postcards with huts and plenty of vegetation and people with strange gowns have nothing to do with S. Vicente, Cabo Verde people.
The intention is very clear for the phtographer to diminish our home island St Vincent, Cape Verde, as "poor" colonial africans.
Carlos Loff Fonseca

Anónimo disse...

Alguns postais não estão minimamente relacionados com S. Vicente, Cabo Verde, antiga colónia portuguesa. Estes postais mostram palhotas cónicas e vegetação bem como vestimentas que pertencem ao continente africano e não à seca ilha de S. Vicente. Esta é a realidade geográfica e histórica. O seu a seu dono.
Assim as "legendas" dos ditos postais colocadas não estão correctas e carecem de correcção pois que devem pertencer à Guiné Bissau, possivelmente. No seco S. Vicente nunca houve tanto mato e palhotas cónicas mas sim casebres de pedra e lata oo cartão.
Laus Deo!
Carlos Loff Fonseca

Marco disse...

Carlos Loff Fonseca,
Não me admirava que você tivesse razão.
Mas estes postais também são o reflexo de um tempo, naturalmente reflectem a "mentalidade colonial portuguesa" de há cem anos atrás.

Anónimo disse...

É evidente que dos ultimos postais mostrados alguns não se enquadram na realidade de Cabo Verde. Porem, o ultimo- a cabana de palha- que, ao que parece mais chocou alguns leitores, pode muito bem ser de Cabo Verde, mais precisamente da ilha de Santo Antão. Vi muitas igual a ela na minha infancia e admito ser possivel ainda hoje encontrar coisa semelhante naquela ilha

Anónimo disse...

nao, nao. Ha muitas imagens que nao tem nada haver com cabo verde, nem hoje nem nunca teve, isso e coisa de africa continental, cv nao e assim, desculpa mas a minha terra nao tem nada disso. essa pessoa ke fez essa reportagem deveria se informar melhor, e nao confundir a ginne ou angola ou mocambique ou... com cabo verd, se ele nao sabe como la e, e melhor ele faser uma visita para tirar duvidas

Term papers disse...

In the picture I can see an entry in the building that reads Live my Highness The Prince Real.

Term papers disse...

it's good to see you here blog. your photos always compliment the writing so well. you inspire me a lot.

Custom Home Detailing disse...

Very good post. I find it very informational. I will share it with the class.

Apron disse...

Hi, I have just visited your site and the info you have covered has been of great interest to me.